Plante uma Árvore

• O Projeto Novo Rumo ecológico - PNRE é o resultado de pesquisas realizadas pelo Movimento Comunitário Brasileiro, CEAC, CBC, Cobram, na tentativa de dar rentabilidade ao Preservador do Meio ambiente.
• É uma ferramenta, (instrumento, proposta, contribuição), do Movimento Comunitário Brasileiro, visando minimizar as perdas pela degradação da Natureza nestes 500 anos de “exploração econômica” dando rentabilidade ao Preservador.
• O Projeto Novo Rumo ecológico – PNRE é o plantio de dez (10) árvores por pessoa física ou Jurídica, em projeto de reflorestamento e ou preservação de florestas, autossustentável.

 

2 – Quais os objetivos estratégicos?
• Dar possibilidade de toda pessoa poderem plantar árvores, mesmo não tendo terra.
• Dar sustentabilidade (compensação) ao pequeno produtor rural, ao reflorestar e ou preservar florestas.
• Contribuir para a fixação do Trabalhador Verde no campo. (criando esta nova categoria de trabalhador rural).
• Planejar o estoque de madeira para o Brasil nos próximos 10, 50, 100 ou 200 anos?
• Lutar para que pelo menos 30% da área não amazônica seja preservadas e ou reflorestadas.
• Compensar áreas densamente habitadas e ou degradadas.
3 – Como implementar o Projeto?
• Em parceria com pequenos Produtores rurais, para reflorestamento e ou preservação de: Matas Ciliares, Proteção de Nascentes, Encostas, áreas degradadas, topo de colina e compensação florestal, etc.
• Em áreas próprias da cooperativa.
• Em Projeto Piloto de Cultivo de Águas.
4 – Quais as áreas de atuação do Projeto Novo Rumo ecológico – PNRE?
• Inicialmente no Bioma da Mata Atlântica, (Minas e São Paulo), mas com possibilidade para todos os Biomas.
5 – Como Participar, e qual o valor de dez (10) arvores, e qual o valor do cultivo?
• Associando ao Projeto (e ou, à cooperativa) com o mínimo de dez (10) árvores e mantendo por vinte anos.
• O valor de cada árvore (mudas) depende do custo das mesmas e do custo da M.O. e da rentabilidade da terra a ser utilizada.
• O Cultivo, que compreende: Arrendamento da terra, proteção contra fogo, e pragas, depende dos valores da M.O e rentabilidade da terra na região.
6 – Qual a composição do reflorestamento?
• Além da exigência legal sobre variedades e espécies.
• [A] – 25% Exótica, Eucaliptos.
• [B] – 25% Nativas, Bracatinga, jacaré, etc. (ciclo de 10 a 50 anos).
• [C] – 30% Nativas, araucária e outras (ciclo de 50 a 100 anos).
• [D] –15% Nativas, Cedro, Peroba, Pau Brasil, jacarandás e outras. (acima de 100 anos).
• [E] – 05% Nativas, espécies frutíferas silvestres, (Inclusive palmeiras).
7 – Quem toca o Projeto?
• [A] - Este não e um projeto para uma pessoa, Organização ou Empresa, mas para uma Rede de Organizações, Pessoas e Empresas, que terão como base a economia Solidária e a participação como sua ferramenta.
• [B] – Este não é um investimento com finalidade de lucratividade econômica, mas Social e principalmente Ambiental.
8 – Qual o retorno?
• [A] – Além da colaboração com o Social e o Meio Ambiente, todo resultado da exploração econômica da plantação, exótica ou nativas de curto ciclo vegetativo; eucalipto, bracatinga, jacaré e outras, cinquenta por cento, (50%), será revertido como “sobra” ao sócio do plantio.
• [B] – Após o vigésimo ano, os 50% restantes, plantas de médio e longo ciclo vegetativo constituirá a reserva florestal da propriedade com exploração racional.
• [C] – Esta reserva poderá ser explorada com a extração planejada da madeira, ou preferencialmente o sequestro de carbono ou projeto de preservação com a venda de quotas de participação.
• [D] – Não poderá de forma alguma ser desmatado em sua totalidade.